As Escolas Inovadoras e suas Práticas Pedagógicas
Neste post pensaremos sobre os aspectos comuns às Escolas Inovadoras e como podemos contribuir com mais práticas nesse sentido.

As Escolas Inovadoras e suas Práticas Pedagógicas

Você já pensou sobre os saberes de escolas inovadoras em sua prática?

Ou seja, como a proposta pedagógica de uma escola inovadora se dá na pratica.

Neste post pensaremos sobre os aspectos comuns às Escolas Inovadoras e como podemos contribuir com mais práticas nesse sentido.

Se buscarmos uma definição para inovação veremos, com simplicidade, que é o ato ou efeito daquilo que é novidade.

Ou seja, inovação é a ação de novas ideias. Por mais óbvia que possa ser a afirmação.

Não é necessário que para se inovar se crie algo a partir do zero, afinal de contas…

“Nada se cria tudo se transforma”, como já dizia Lavoisier há mais de 200 anos.

Você pode inovar trazendo uma nova utilidade para algo que já existe, adaptando, combinando ideias e formas diferentes de resolver problemas novos ou antigos.

Diferente da invenção e da descoberta, a inovação necessariamente deve gerar valor ao usuário da mesma.

O processo de inovação deve ser contínuo, é mais uma mentalidade e uma busca constante do que um lugar estável.

Inovar envolve testar, validar, se adaptar e testar novamente.

Como falamos em gerar valor, é importante relacionarmos a inovação à empatia, afinal de contas, tudo aquilo que gera valor de alguma forma resolve um problema, supre uma necessidade de alguém, de um conjunto de pessoas.

As inovações podem ser incrementais, adaptativas ou disruptivas, sendo essa última a forma mais profunda de inovação.

A Teia Multicultural é uma Escola Inovadora

A Teia Multicultural é considerada pelo MEC uma escola inovadora, referência em criatividade.

Pertence ao MIE – Movimento de Inovação na Educação.

O método de ensino da Teia é próprio, no âmbito mais profundo, essa proposta pedagógica representa uma inovação disruptiva.

Resumindo muito, a grande inovação da Teia se dá a partir da sua proposta pedagógica, que é totalmente baseada em projetos artísticos interdisciplinares, guiada pela Arte e pelo Autoconhecimento.

Porém, a proposta pedagógica da Teia ao longo dos anos foi se ajustando, utilizando-se de inovações incrementais e adaptativas.

Ora, se pensamos na Educação, o que pode ser considerado novidade para as ações pedagógicas?

Aqui o óbvio se torna complexo.

A Escola Inovadora

Há tempos dizemos que a Educação vem se adaptando às novas demandas do século XXI (ao menos deve estar), pois a sociedade de hoje é muito diferente da que existia quando foram criados os modelos escolares que ainda insistem em seguir com suas práticas educativas.

Os modelos de ensino nos quais há uma figura responsável por transmitir conhecimentos, de forma passiva e professoral, sem considerar as imensas possibilidades de uma sala de aula heterogênea, não é mais possível.

E isso está sendo dito há muito tempo, aqui no Brasil, só para citar um exemplo, o movimento Escola Nova tem quase um século de existência.

Influenciado pelas ideias do Construtivismo, o movimento trouxe ao nosso país as primeiras ideias para colocar estudantes no centro da aprendizagem, acreditando na autonomia para o desenvolvimento de habilidades e competências cognitivas e socioemocionais.

Para complementar, um ponto essencial do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova (1932), foi sua proposta da universalização da escola pública, laica, aberta e gratuita.

Verdadeira inovação para seu tempo, garantindo até hoje o direito à educação de forma ampla à sociedade brasileira, no entanto, sabemos que ainda há muitas conquistas pela frente.

Mas também sabemos e acreditamos que existem experiências potentes em todas as redes.

Quais as características das Escolas Inovadoras

Bem, podemos dizer que a principal característica das Escolas Inovadoras é a valorização da autonomia e das diferenças entre tempos e saberes, de crianças e jovens estudantes.

As escolas inovadoras levam em consideração os contextos, saberes e inteligências dos alunos, trazendo uma aprendizagem mais personalizada e envolvente.

Assim, as ações pedagógicas se direcionam para o desenvolvimento integral de quem participa das aulas.

Desse modo, podemos afirmar que além de crianças e jovens, professoras e professores também são parte essencial do processo, pois todo mundo aprende, a aprendizagem se dá através de uma troca e da construção coletiva.

Tecnologia nas Escolas Inovadoras

Discordamos da confusão de que a inovação tira o papel educativo das equipes pedagógicas de professoras e professores, principalmente quando se considera o avanço da tecnologia.

Pois o uso das ferramentas digitais é um dos pontos principais quando se pensa em inovação na educação. Mas sem educadoras e educadores, as ferramentas tecnológicas se sustentam na escola?

Se esse uso das tecnologias digitais já estava em evidente crescimento, principalmente considerando o cotidiano de estudantes jovens, durante a pandemia da Covid-19 tornou-se essencial para grande parte dos sistemas educacionais.

Agora, equipes pedagógicas de escolas inovadoras ou não, também estão lidando com equipamentos e softwares que antes não eram tão frequentes em suas práticas.

Ainda vale a pena lembrar que existem diversos tipos de tecnologia, aqui estou me referindo às tecnologias digitais, mas não podemos esquecer que um dia a principal tecnologia desenvolvida pelo homem foi a roda.

Ainda se confunde muito o significado de tecnologia com tecnologia digital e com inovação, são coisas que podem trabalhar juntas, mas não são sinônimos.

Outras características das Escolas Inovadoras

Se a tecnologia (teoria geral e/ou estudo sistemático sobre técnicas, processos, métodos, meios e instrumentos de um ou mais ofícios ou domínios da atividade humana) é um ponto forte da inovação…

Por outro lado, há um conjunto de valores e atitudes humanas que também são parte das Escolas Inovadoras.

Esses valores e atitudes estão na essência da revolução que se pretende, estamos falando das Competências e Inteligências Socioemocionais.

Com elas, a Escola Inovadora desenvolve valores e atitudes diversas como:

Conhecendo e participando de experiências – Escolas Inovadoras

Esse desenvolvimento perpassa, além da vida de estudantes, a vida da gestão organizacional e pedagógica que deve pensar nos currículos e preparação dos ambientes para que as práticas possam ir além das tradições.

Apesar dessas características, devemos considerar que em alguns casos a inovação se dará de outro modo, muitas vezes mais simples aos olhos acostumados com acessos.

Pensemos, por exemplo, em uma escola indígena.

Sua inovação poderá estar no fato de ter professoras e professores indígenas, ao invés de ter pessoas não indígenas como responsáveis pelas aulas.

As diferentes abordagens culturais e perspectivas sociais também abrangem as possiblidades de inovação que pode ser implementada em sala de aula.

Para conhecer experiências inovadoras na Educação Brasileira, o Movimento de Inovação na Educação tem em seu portal um mapa bastante interessante que permite buscas por segmentos, esferas e estados.

Além de diversos materiais para a divulgação dessas experiências.

Outro portal interessante é o InnoveEdu, nele são divulgadas experiências inovadoras pelo mundo.

Para ilustrar nossa reflexão anterior sobre aspectos inovadores fora da tecnologia digital, no portal do InnoveEdu conhecemos a experiência da Green School, em Bali.

Nela, a conexão com a natureza é seu principal ponto de inovação, desde a concepção de ambientes construídos com bambus, ao desenvolvimento de habilidades de cultivo e reciclagem.

Atributos de uma Escola Inovadora

É importante que cada escola inovadora tenha a sua personalidade, o seu DNA. E mais importante ainda é a troca entre diferentes instituições, para que as boas práticas sirvam de inspirações.

A escola inovadora deve estar atenta às necessidades atuais e ter alta velocidade em seus ciclos testes e implementações, pois o que hoje é inovador rapidamente pode se tornar ultrapassado nesse mundo VUCA.

Por fim, uma Escola Inovadora conta com a participação de toda a comunidade.

Assim, famílias, responsáveis, estudantes e equipes são responsáveis pela colaboração em todas as práticas.

Deixamos um convite: incentive a participação na sua escola, para o alcance dos benefícios da inovação!

Conte pra gente, quais suas experiências com inovação na educação?

Francis e Lucas de Briquez Colab

Esse post foi escrito de maneira colaborativa pelo professor de língua portuguesa brasileira Francisley da Silva Dias e pelo professor de marketing e empreendedorismo Lucas de Briquez.

Deixe uma resposta